Beleza,  Saúde e Bem estar

Tipos de Estrias – Como eliminar cada uma delas!

Lidar com as estrias é difícil, ainda mais quando estamos preocupadas com a nossa estética, mas saiba que o difícil não significa impossível e conhecer os dois tipos de estrias é o primeiro passo para entender como eliminar esse problema.

Você vai ver que acabar com as estrias pode ser mais fácil do que imagina e se você manter uma constância nos cuidados da sua pele, essa tarefa vai ser ainda mais tranquila.

Tipos de estrias
Conheça os tipos de estrias e aprenda como eliminar esse incômodo já!

Pra te ajudar com isso, elaborei um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre os tipos de estrias e os seus tratamentos. Acompanhe e elimine esse problema de uma vez por todas!

Vamos lá?

O QUE SÃO ESTRIAS?

As estrias são alterações cutâneas definidas como cicatrizes visíveis e lineares que geralmente se dispõem de modo paralelo umas as outras. Elas podem aparecer tanto em grandes quantidades como de modo mais escasso.

Elas indicam um tipo de lesão na pele que ocorre a partir de um desequilíbrio elástico na região.

Existem diversas causas para estas lesões que agem diretamente na quantidade de estrias que aparecerão – ou não – sobre a pele.

CAUSAS DAS ESTRIAS

  • Causas mecânicas: Nestes casos, a pele é acometida a um estiramento abrupto, ruptura ou até mesmo perda da elasticidade devido ao crescimento exagerado do tecido. Alguns exemplos: gravidez, alta taxa de crescimento na adolescência, aumento expressivo na gordura corporal ou emagrecimento repentino, colocação de prótese de silicone, entre outros. Ou seja, trata-se de uma “força mecânica” que ocorre sobre a nossa pele “forçando” o seu estiramento.
  • Causas endocrinológicas: Neste caso, a pele sofre alterações a partir de distúrbios ou reposições hormonais como a aplicação de anabolizantes, por exemplo. Além disso, déficits nutricionais também podem aumentar a propensão para o aparecimento do problema.
  • Causas infecciosas: Alguns processos infecciosos (como doenças do tipo hepatite e febre tifóide) podem provocar danos às fibras elásticas de nossa pele. Logo, podemos desenvolver estrias a partir deste dano.

Em suma, as causas podem ser de alterações fisiológicas, doenças infecciosas e crescimento de músculo/tecido adiposo de modo exagerado.

CONHEÇA OS TIPOS DE ESTRIAS

Agora que você já aprendeu o que causam e o que são estrias é hora de conhecer as diferenças entre os dois tipos.

Para isso, vou pedir que você observe a cor das suas estrias. Elas têm uma coloração mais clarinha, puxando para o branco? Ou são mais escurinhas? Em um tom vermelho ou roxo?

Essa informação é muito importante para que possamos ter um prognóstico do seu tratamento. Acompanhe e você compreenderá o que estou querendo dizer:

ESTRIAS VERMELHAS OU ARROXEADAS

Estas estrias podem ter uma espessura variada e são os primeiros sinais de que a sua pele está com um estiramento e com uma “dificuldade” de manter as fibras elásticas no lugar.

As mesmas contêm esta coloração mais roxa/vermelha porque ainda há circulação sanguínea no local. Ou seja, ainda não ocorreu o “fechamento” dessa estria que dificulte a cicatrização do tecido.

É por isso que elas são mais fáceis de eliminar e diminuir.

Para compreender melhor, imagine a seguinte situação:

Você cortou a sua pele. Em seguida, aplicou um produto cicatrizante.

Ele penetrará rapidamente no machucado, agindo na cura e, quem sabe, fará com que a pele não fique com uma cicatriz tão aparente já que ficará com a exposição por menos tempo.

Agora se você esperar que a sua pele se cure sozinha, o período e recuperação será maior e, consequentemente, é possível que a cicatriz seja mais expressiva.

Ou seja, no caso das estrias, quando ainda estão vermelhas e com circulação, é possível conquistar uma cura mais efetiva do problema, diminuindo as chances do estiramento ficar muito profundo e aparente na pele.

ESTRIAS BRANCAS

No caso das estrias brancas, as mesmas tratam-se do problema quando ele já está concretizado. Isto é, a sua pele já “se recuperou” do estiramento, mas não de um modo muito interessante para você.

Bem, este tipo de estria tende a ser mais difícil de eliminar… Uma vez que ela está mais impregnado na pele.

Porém, existem muitos métodos que proporcionam resultados extraordinários na pele. E é sobre eles que falarei a seguir.

TRATAMENTOS PARA OS TIPOS ESTRIAS

Conheça cada um dos tratamentos e descubra qual a melhor opção para você:

  1. Subcisão: trata-se de um método do tipo cirúrgico ambulatorial utilizando uma agulha que possui uma ponta cortante. Esta ponta desloca-se até a derme profunda, provocando pequenos “traumas” que estimularão a produção de colágeno. Dessa maneira, pouco a pouco a pele se regenera e diminui expressivamente a aparência e a textura da estria. Indicação: estria branca e profunda.
  2. Radiofrequência: neste tipo de tratamento a pele lesionada recebe ondas que são disparadas por um equipamento.Este, por sua vez, tem como objetivo aquecer a camada mais profunda da pele. Isto eleva a contração das fibras de colágeno, além de estimular a reorganização dos tecidos de sustentação. Indicação: estria roxa/ vermelha.
  3. Laser fracionado: o laser fracionado dispara feixes de luz que são penetrados profundamente pela pele. Este laser estimula a produção de elastina e colágeno, acelerando a cicatrização e recuperação da área. Indicação: estria roxa/ vermelha.
  4. Peeling: este tipo de tratamento pode ser tanto químico quanto o famoso “peeling de cristal”. Nos dois casos há uma remoção de células mortas da pele, além de estimular a produção de colágeno de modo profundo deixando o tecido cutâneo mais liso  e com menos marcas. Indicação: estria roxa/vermelha e branca.
  5. Microagulhamento: aqui o profissional utilizará agulhas finíssimas que provocam microfuros no tecido cutâneo. A partir disso, há uma melhor penetração de cremes e medicamentos na região. Estes auxiliarão na produção de colágeno uma vez que geram um processo inflamatório que será “tratado” pelas fibras da própria pele. Indicação: estria branca.
  6. Infravermelho: o infravermelho penetra em camadas profundas da pele aquecendo-a. Esse aquecimento faz com que a síntese de colágeno seja acelerada, melhorando o aspecto cutâneo. Indicação: estria branca.
  7. Tatuagem cor de pele: para quem quer resultados mais ágeis e simples. O profissional tatuador fará uma “cobertura” na estria, com tinta, diminuindo a aparência da mesma. E assim, o resultado é notado deste o primeiro momento. Indicação: estria branca que dificilmente será eliminada.

TRATAMENTOS CASEIROS PARA OS TIPOS DE ESTRIAS

Além de existirem diversas intervenções estéticas (como as que mencionei anteriormente), existem ainda alternativas caseiras para acabar de vez com os dois tipos de estrias.

O único porém é que esses tratamentos caseiros não são milagrosos. Assim, você precisa sempre manter uma constância com os métodos e uma certa disciplina para tanto. Caso contrário, a alternativa caseira não vai funcionar e você só irá se frustrar!

Anote as dicas abaixo e vamos juntas combater este problema tão incômodo:

  • Consuma chá de carqueja: o chá de carqueja é conhecido por melhorar a textura da nossa pele, uma vez que auxilia no processo de síntese de colágeno. Portanto, aposte nesta bebida quente para conquistar um efeito positivo no tratamento de estrias. Mas, cuidado: se você estiver grávida, não o consuma, pois ele tem efeito abortivo.
  • Aplique cavalinha: o chá de cavalinha quando aplicado sobre a pele hidrata profundamente e devolve a elasticidade ao tecido. Dessa forma, aplique todos os dias para melhorar a textura do tecido cutâneo, diminuindo a aparência das estrias.
  • Faça esfoliações: as esfoliações diminuem a sensação de relevo na pele, além de eliminar as células mortas. Esta remoção dá margem ao desenvolvimento de células jovens e saudáveis que agirão na recomposição do tecido cutâneo. Além disso, sempre finalize a esfoliação com uma hidratação profunda.
  • Aplique creme de abacate com aloe vera: estes dois ingredientes são ricos em vitaminas e nutrientes e podem te ajudar no processo de eliminação dos dois tipos de estrias. Basta você misturar uma colher de sopa de aloe vera com 3 colheres de sopa de abacate com leite. Mexa bem até formar um creme suave. E pronto! É só aplicar e deixar agir o máximo de tempo que puder.
  • Aplique óleo de rosa mosqueta: é capaz de estimular a produção de colágeno, deixando a pele mais macia e com menos propensão ao aparecimento de estrias. Ele também renovar o tecido e diminuir a aparência do problema.

APOSTE NA PREVENÇÃO DO PROBLEMA

Além de todos os cuidados com as estrias que você já tem na pele é essencial que você previna o aparecimento de novas.

De nada investir em mil e uma possibilidades para acabar com o problema se o mesmo não for prevenido, não é? Portanto, se atente as considerações abaixo e evite o desenvolvimento de novas estrias:

  • Pratique exercícios: praticar exercícios é essencial para manter todo o nosso organismo sempre funcionando. Além disso, ficamos com os músculos mais tonificados e, consequentemente, com a pele mais firme. E assim, prevenimos o aparecimento de estrias.
  • Beba bastante água: manter o corpo hidratado é essencial para garantir a saúde de nossa pele. Portanto, inclua dois litros de água no seu consumo hídrico diário.
  • Consuma suplementos de colágeno hidrolisado: o colágeno hidrolisado é uma ótima maneira de garantir a sustentação da pele. Este consumo é importante principalmente quando já passamos dos 35 anos de idade.
  • Alimente-se bem: a alimentação impacta diretamente na saúde e na elasticidade de nossa pele. Portanto, consuma bastantes frutas, verduras e legumes e evite alimentos gordurosos e muito calóricos.
  • Cuidado com o efeito sanfona: e por falar em alimentos gordurosos… Evite, ao máximo, viver o tal “efeito sanfona”, uma vez que o mesmo pode provocar estiramentos expressivos na pele, causando o aparecimento das estrias.
  • Cuide da pele antes de colocar alguma prótese: converse com um dermatologista antes de colocar silicone (independente da região no corpo). Assim você prepara o tecido para o aumento abrupto, inibindo as lesões cutâneas.

CUIDE DE VOCÊ!

Viu como é possível tratar e até mesmo eliminar os tipos de estrias? Independente de você apostar em tratamentos no consultório ou cuidados em casa, o importante é não desistir e sempre buscar alternativas que enalteçam a produção de colágeno na pele.

Além disso, procure sempre evitar o aparecimento de novos quadros com medidas simples e fáceis. Assim certamente você desfrutará de uma pele mais lisa e saudável.

Se precisar de algum auxílio, deixe o seu comentário e compartilhe sua dúvida aqui no blog. Até o próximo post!

Tipos de Estrias – Como eliminar cada uma delas!
5 (100%) 6 vote[s]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *